2016 anda perdendo muita gente interessante. Bowie, Prince e agora Elke Maravilha. A russa mais brasileira que existiu. Pessoa inclassificável seja pela inteligência, autenticidade, beleza, talento, bom humor, garra e boas análises a respeito do ser humano. Desde criança a achava sensacional, enquanto outros falavam que tinham medo dela. Medo do que? De ser diferente? A achava exuberante, divertida, meio bruxa, meio drag queen, era ela inteirinha ali pra gente. Aquela risada alta e verdadeira. Como adoro pessoas assim.

elke maravilha

Esse ano ela veio para Curitiba em uma festa chamada “Brasilidades”. Nada mais apropriado, já que era filha de russos, mas também do Chacrinha. Infelizmente não consegui ir, mas dizem que foi incrível. A Elke vai, mas a gente fica – por enquanto – num mundo mais sem gracinha e esperando que pessoas como ela, Bowie ou Prince venham para dar um tchan nessa sociedade sem graça e quadrada. Aqui e aqui tem dois textos ótimos a respeito dela. Que ela esteja brincando de outras coisas nessa passagem.

elke-maravilha-no-programa-do-chacrinha-da-rede-bandeirantes

Espalhe por aí:

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Comentário *