Fashion

Sobre estilo: Daphne Guinness

Fato é que tenho várias musas de beleza e estilo. A gente precisa de inspiração pra viver, já falei sobre isso aqui. Meu estilo anda meio destrambelhado. Aliás, sempre foi. Eu tenho problemas de imagem desde que me conheço por gente e sempre tentei me esconder, logo mostro muito pouco o que realmente sou e gosto esteticamente. Não me visto como realmente gostaria por conta disso, salvo os acessórios. É muito triste, mas estou trabalhando isso. Por isso que sempre aplaudo a bandeira do “be yourself”. Não importa o que, sabe? Saber seu estilo e não ter medo dele é para poucos. Seja você uma Costanza Pascolato ou a Tati Quebra-Barraco. Tá feliz? É isso mesmo? Então você tem estilo sim. E tenha em mente: você pode mudar quando quiser, mas sempre leve um fato marcante seu (os meus são os brincos, batom vermelho e delineador). Espero vestir roupas de alfaiataria que acho muito bonito, só que meu corpo não se acomoda (eu não acho que fique bonito, esse é meu dilema/neurose). ENFIM.

daphne guinness 4

Por isso quero falar da Daphne Guinness que é uma maravilhosa-fina-estilosa e foi musa do Alexander McQueen (R.I.P.). Ela já nasceu em berço de ouro no Reino Unido. O pai era um barão, a mãe era musa de Man Ray e Salvador Dalí. Logo, era meio caminho andado pra ter o genes da fodelância, hahaha. Andei lendo sobre ela e sua evolução de estilo (veja aqui) e é muito difícil defini-la, de verdade. Ela é ícone fashion, de beleza (maquiagem), música (Lady Gaga pira nela), filantropia e até cinematográfica. Definir pessoas indefiníveis chega a ser um pecado, sabe? O que posso falar dela?

daphne guinness 7

Se você lembrou da cerveja Guinness, tá correta. Ela é herdeira do grupo mesmo. Milionária com muito estilo? GRAÇAS A DEUS! Melhor do que ser uma rica boring tipo Paris Hilton (acho que o filho dela, Nicolas Stavros Niarchos já namorou com ela). Daphne já fez até clipe pomposo cheio de referências lindas. Saber usar o dinheiro pra inspirar é pra poucos também. Posso falar do cabelo? AMO! É bicolor (preto e branco), seu rosto tem um ‘q’ de Marlene Dietrich. As roupas? haute couture na veia. Maquiagem? A clássica. Acho que vou postar umas fotos para melhorar:

Para finalizar, aqui tem uma ping-pong com ela.

Por favor, vista algo preto

A dona bruxa Supreme Fiona de AHS – Coven já diria: mude sua roupa e vista algo preto. Não tem erro mesmo, um look todo preto salva vidas e garante elegância instantânea. Algumas dicas para não cair na mesmice:

  1. peças de alfaiataria deixam o look com um caimento bem acabado;
  2. coletes dão um toque mais rocker;
  3. saias longas refrescam quando o clima está mais quente;
  4. cardigãs são sempre bem-vindos;
  5. cansou da calça? use meia calça preta (de qualquer fio) com saia ou shorts;
  6. acessórios como pulseiras e bolsas também dão um ar mais interessante.

Dito isso, aí vão referências visuais de como criar alguns looks somente com peças pretas:

vestir preto

wear-something-black

Coco Chanel aprovaria ;)

Cintura de pilão: House of Canney

Para alguns é sinônimo de tortura e tempos retrógrados, para outros é fetish puro, beleza e até item de colecionador. Curvex? Não, tô falando do corselete/corset/espartilho. Apesar de já estar extinto da vestimenta feminina faz um tempinho, muitas mulheres e homens ainda investem nessa peça para várias finalidades.11406955_10153373073274137_7540348618663655067_n

Na última temporada de RuPaul’s Drag Race, por exemplo, vimos diversas drags fazendo uso do corset. A campeã Violet Chachki sempre causava com sua cintura finíssima, bem estilo Mr. Pearl. Dita von Teese, a nossa burlesca moderna favorita, também utiliza bastante para modelar mais ainda suas curvas. Outro método que faz sucesso entre algumas meninas é o “tight lacing” que é usar o corset por um longo período para que altere a silhueta e reduza a cintura (não faça sem os devidos cuidados).

Pois bem, depois de citar alguns exemplos, apresento Anthony Ladd Canney que reproduz corsets baphonicos. Vai desde reproduções históricas a noivas, latex e fetish. Coisa bonita, coisa fina. O artista é de Georgia e estudou na Savannah Arts Academy, tendo recebido até uma bolsa de estudo. Canney mudou-se para Atlanta em 2007 como designer e performer onde juntou-se com o grupo Sukeban.

Em seu atelier, a House of Canney, ele faz longas pesquisas (vestido ou pelado) a respeito da história e moldes do corset. Canney ficou conhecido pela sua principal cliente, a drag queen já citada acima, Violet. Juntos eles botaram para ferver o mundo das cinturas finas e alguns looks famosos usados pela bonita na sétima temporada, inclusive o vestido final, teve assinatura de Canney. As peças são belíssimas e bem caras, realmente para quem faz questão de investir.

House of Canney
Construção do vestido de Violet
House of Canney 8
Vestido pronto em que Violet usou na premiação da 7ª temp de RuPaul
House of Canney 2
Canney & Violet

Para seguir: Site | IG | Entrevista

 

Stories…. By Kelly Osbourne

Quem assistia o reality show The Osbournes (amava), sabe muito bem que os filhos do príncipe das trevas evoluíram bastante de lá pra cá. Kelly Osbourne, por exemplo, passou de uma adolescente emo, problemática e cafoninha pra um ícone fashionista, chegando apresentar “Fashion Police” e “Live from Red Carpet”, no canal E!. Além disso, fez a modelo para a marca de Madonna e Lourdes Maria, e teve uma coleção exclusiva de make para a MAC. Claro que tudo isso sem perder sua própria essência: continua fazendo tatuagens e mudando seu cabelo como ninguém.

6b2e0ac20025827e4da1cbb9
miga, sua louca

Aproveitando seu status fashion, Kelly uniu-se com a Jupi Corp e lançaram Stories… By Kelly Osbourne em Setembro de 2014. A marca vem com a proposta em oferecer roupas de bom gosto e excelente qualidade para todos os tamanhos possíveis. O fato de que a fashionista sofre com a balança desde sempre foi um grande aliado para levar para as mulheres de todos os tamanhos e formas, algo interessante para vestir.

O nome da marca é pra registrar que cada roupa pode possuir um significado. Cada coleção lançada foi nomeada como Chapter (Capítulo) 1 e Chapter 2. Kelly explica que a linha é para toda mulher criar sua memória e contar sua própria estória. “Eu percebi que cada peça do meu armário contava algo bom ou ruim. Tem o vestido que usei em um primeiro encontro, outro que fez com que eu saísse numa lista de “mais bem vestidos”. Estou empolgada para conhecer as estórias incríveis que as mulheres vão criar com as peças dessa coleção”, completa.

kelly_osbourne_web
o nome da marca foi tatuado em sua cabeça

A coleção “Chapter 1”, bem como a “Chapter 2” tem uma seleção de camisetas, tops, jaquetas e vestidos com tecidos de alta qualidade e com acabamento impecável. Todas as peças estão disponíveis em tamanhos variados e foram criadas para ajustar em todas as formas que o corpo feminino possa ter a fim de que a silhueta fique bonita.

Particularmente, achei a coleção de extremo bom gosto e adorei as estampas escolhidas para camisas e vestidos. Os moldes saem do senso do comum, resultando em um look moderno. Pesquisei também a respeito dos modelos 48/50/52 etc e realmente funciona e adequa bem ao corpo! Ponto pra Kelly O.

kelly stories

Kelly-Sketch_1024x1024

 

Siga: Facebook Instagram.

Looks da Xuxa nos anos 80

xuxa 80s 21
Antes de ser considerada a ‘rainha dos baixinhos’ aqui no Brasil, Xuxa foi uma modelo bem cotada nos anos 80. Naquela época era comum fazer ensaios mega sensuais pra revistas masculinas e até femininas. Além disso, Xuxa também fez o polêmico filme “Amor Estranho Amor” onde seduz um menor de idade. Por conta disso, a sociedade a julgou (e ainda a julga) por esses trabalhos e, mesmo assim, a apresentadora bombou muito. xuxa 80s-1

Obviamente fui ‘baixinha’ dela, assistia ao Show da Xuxa toda manhã, ficava doida com aquele café da manhã que ela oferecia pra plateia, chorava quando era aniversário dela, parecia sensacional ir até lá e mandar beijo pra galera. Hoje em dia, assistindo aos primeiros programas, vemos a falta de paciência dela e alguns dizem que as paquitas davam croques na pirralhada. Na TV era aquele mundo fantástico e não tinha nenhuma apresentadora (ou apresentador) que não tivesse um passado mais ~obscuro~, verdade seja dita. Mais fácil colocar uma criança pra apresentar, tipo a MAÍSA.

Também assisti todos os filmes (amo até hoje Xuxa contra o Baixo Astral que é o nosso Labirinto). Enfim, Xuxa tinha o toque de Midas no mundo infantil, fato. Teve até marca de roupa chamada Bicho Comeu, fez sucesso na Argentina e nos Estados Unidos. Não vou mentir que gosto dela, pois se a visse hoje em dia, iria achar surreal. Afinal de contas, Xuxa fez parte da minha infância e começo de adolescência.

Dias desses estava vendo uns vídeos antigos e nonsenses dela num post do Buzzfeed BR e botei reparo em seus looks. Volto a falar: anos 80 são amor puro e verdadeiro. O visual da Xuxa naquela época era basicamente hot pants, bota com cano altíssimo, jaquetas com ombreiras enormes e com pegada militar, algum top maluco e cabelo presos em cima que hoje em dia chamamos de xuxinhas. Claro que, como a própria época pede, tudo era bem espalhatafoso. AMO! As paquitas tinham uniformes fixos que só trocavam de cores (azul ou vermelho). O look da Xuxa realmente reinava horrores e por isso fiz uma galeria pra relembrar: